Cientistas descobrem método para produzir energia renovável a partir da neve

Constatadas as dificuldades na produção de energia limpa a partir dos recursos disponibilizados pelo nosso planeta, qualquer um dos métodos hoje são tidos em conta. Desta forma, investigadores da UCLA criaram um dispositivo que gera eletricidade a partir da queda de neve.

Este é o primeiro dispositivo deste tipo, é acessível, de pequenas dimensões, fino e flexível como que se de uma folha de plástico se tratasse.



Este novo dispositivo científico cria eletricidade a partir da neve



As soluções com base em painéis solares aumentam a sua eficiência dia após dia. Agora, os cientistas criaram um nano gerador para ser possível produzir eletricidade mesmo se estes estiverem cobertos de neve.

Quando os utilizadores têm um sistema fotovoltaico, podem ter algumas dificuldades com a neve. Deste modo, um grupo de investigadores levou em conta estas circunstâncias para criar um dispositivo que permita a produção de energia a partir da neve.



Neve TENG


Considerando, os investigadores chamam de nano gerador triboelétrico baseado na neve, ou neve TENG. Utiliza eletricidade estática para gerar uma carga através da troca de eletrões.

A neve tem uma carga positiva e liberta eletrões, portanto, é capaz de gerar energia. O dispositivo tem uma carga negativa e tem a capacidade de captar ativamente os eletrões positivos. Assim, a tecnologia recorre a esses encargos e converte-os em eletricidade.

O sistema é desenhado para ser integrado em painéis solares. Desta forma, os painéis geram eletricidade mesmo quando cobertos de neve.


Pensado para ser um recurso, este protótipo foi projetado por um grupo internacional. A equipa inclui profissionais dos Canadá, Estados Unidos, Egito e Irlanda. Para conseguir chegar a este nano gerador, os cientistas tiveram que experimentar diversos materiais.

No começo testaram folhas de alumínio e Teflon, mas acabaram por usar silicone. Posteriormente optaram por um último material, dado que este produz mais carga do que qualquer outro.

O dispositivo foi fabricado numa impressora 3D, em seguida foram adicionados um elétrodo e silicone. Portanto, é muito económico e pode ser uma solução.


Problemas atuais



Será sem dúvida uma tecnologia em breve a ser aplicada. Contudo, o problema que os cientistas estão a enfrentar está relacionado com baixa capacidade de gerar eletricidade na sua forma atual, produzindo apenas 0,2 mW por metro quadrado e uma voltagem de circuito aberto de até 8 V.

Com estas características, a tecnologia poderá ser usada como um pequeno sensor auto-alimentado. Na verdade, estes tipos de sensores já são utilizados no fundo de botas ou esquis para recolher dados dos desportos de inverno.